quinta-feira, junho 28, 2007

Epidemia

- Aperte... logo... o gatilho!

Eu, apavorado, apenas ouvia essas palavras de meu chefe, poucos metros em minha frente. Minhas mãos tremiam enquanto apontavam uma arma em sua direção, certamente não conseguiria atirar sem acertar alguma das mesas ou equipamentos ao invés de extermina-lo! Mas eu não conseguiria, era meu mestre ali!

Seu rosto se contorcia e eu podia ver as veias de seu pescoço saltarem, enquanto um grito de dor ecoava pela sala. Seguimos todos os procedimentos de segurança, por que aquilo tinha de ter acontecido?

Somos pesquisadores do Governo, aquele era o projeto de uma arma biológica capaz de exterminar todo um exército em poucas horas! Era simples: o agente atingiria a corrente sanguínea do indivíduo, paralisando todos os seus nervos e matando-o em alguns poucos segundos. Espalhado por avião, contagiaria os soldados inimigos e os aniquilaria rapidamente. Uma guerra poderia terminar em menos de uma semana, com o máximo de aproveitamento!

Estávamos já nas fase dos últimos testes quando percebemos que algo tinha dado errado. Ao injetarmos o agente em uma cobaia, primeiramente podemos observar seus músculos contraírem e seus olhos injetarem, para em seguida ser possuída por uma sede irracional e incontrolável de sangue. E, o que parecia pior: os animais que não tinham seu sangue drenado desenvolviam os mesmos sintomas e comportamento. Foi preciso atirar neles, com uma arma que havia no laboratório para alguma emergência, para que pudessem parar. Em pouco menos de uma hora, toda uma população de cem ratos havia se tornado um exército de bestas sedentas por sangue.

O Professor tomou uma delas, a única que poupamos para que pudéssemos analisar o que ocorrera de errado, porém, na tentativa de extrair seu sangue, acabou sendo mordido. Passamos por momentos de profunda agonia e nos iludimos com a sensação de que o contágio não passaria para os humanos, mas não foi necessária mais de meia hora para ele apresentar os primeiros sintomas – e o quadro não parava de evoluir, por mais que tentássemos revertê-lo.

Mas não poderia matá-lo, não o homem que tinha me dado uma chance para iniciar minhas pesquisas!

- ATIRE AGORA!!!!!!

Fechei os olhos com todas as forças, como para acordar de um pesadelo. Silêncio. Talvez fosse melhor que o Professor sucumbisse, poderia continuar as pesquisas do ponto onde pararam e corrigi-las.

Ao abri-los, porém, não tive tempo nem para ficar surpreso. Os olhos maníacos olhavam diretamente para os meus, enquanto uma das mãos imobilizava aquela que segurava a arma e nós dois caíamos sobre uma das escrivaninhas.

- Professor!

Nenhuma resposta, apenas a respiração afetada de uma besta pronta para devorar sua presa. A força já não parecia humana, era como se estivesse preso por chumbo ao piso do laboratório, meu corpo estava imobilizado e eu sabia intimamente que já não tinha salvação.

Antes de sentir seus dentes em meu pescoço, podia pensar apenas em dias negros que espreitavam a humanidade...


***

Resident Evil e survial games congêneres? Não, neeeeeem um pouquinho inspirado nisso, imagina...
E isso porque disse que voltaria a atualizar o blog. Mas que blogueira vergonhosa eu sou!

5 comentários:

Raphael C. disse...

V> Erva Vermelha =3

Gostei, bem escrito, bom recurso de flashback, e boa gradação positiva que culmina num clímax inesperado. ^^ Keep on the good work.

marcos disse...

Também gostei, conseguiu prender minha atenção durante todo o texto.

O texto propõe ao leitor uma reflexão sobre a morte, se o assassinato é mesmo SEMPRE errado. Propõe também uma reflexão sobre nossa omissão diante da vida, quando deixamos de fazer oque devemos (ou oque seria correto), para não trair nosso caráter e idéias já formadas, que acabam funcionando como prisões nos engessando.

Parabéns Bellinha!

Aroldo disse...

Bem legal, remeteu aos meus tempos áureos de 'medo de zumbis' =3

Gostei quando você me mostrou e continuei gostando após reler. A narrativa é agradável e fácil de ler, prende o leitor, mas não o estafa. Espero que os futuros continuem com essa qualidade, vou lê-los avidamente.

Migeru disse...

T-Virus'd. =P

Gostei da história e da narrativa, e como não sou lá muito bom em dar "detalhes textuais", simplesmente considere o que foi dito anteriormente, assino embaixo.

Continue assim, abraço!

Leonardo disse...

Oi moça,
Depois de um tempo, voltei a ler...
Gostei, se você não tivesse mencionado resident evil eu nem teria notado rsrsrsrsrs
Bjus